Hata Yoga

 

ABRINDO AS PORTAS DO PARAÍSO:       

                

 O CONTROLE DA RESPIRAÇÃO É A CHAVE QUE ABRE AS PORTAS DO PARAÍSO.

 Soa estranho? Nunca deu tanta importância assim a sua respiração?

 

Infelizmente é como a maioria de nós se relaciona com sua respiração, com inconsciência. Mal percebemos que estamos respirando e este ato se torna mecânico durante toda a nossa vida.

Precisamos saber algumas coisas importantes sobre nossa respiração:

 

1º - Ela é o único ato voluntário e involuntário ao mesmo tempo, ou seja, respiramos involuntariamente, mas, também, podemos mudar a forma como respiramos (mais suave e profundo, mais rápido e intenso, etc)

 

2º - Ela esta intimamente relacionada com nossa psique, com nossa mente sub e inconsciente;

3º-  Fisiologicamente falando ela está sob o controle ou controla o sistema nervoso simpático e o parassimpático;

 

Vamos entender melhor:

 

Nossa mente é afetada pelos estímulos externos e, também, pelos internos, psíquicos e bioquímicos. Dependendo do tipo de estímulo ela se prepara para uma reação de “lutar/fugir”, ou entra em um estado de relaxamento.

 

Quando há o disparo da reação “lutar/fugir”, gerado por um estímulo estressante, que pode ser interno ou externo, o Sistema Nervoso em comando é o Simpático;

Quando há o disparo da reação de relaxamento, gerado por estímulos internos ou externos, o Sistema Nervoso em comando é o Parassimpático;

 

Então, Sistema Nervoso Simpático deixa nossa mente em alerta, tensos, há aumento da frequência cardíaca, aumento da pressão arterial e aumento da frequência respiratória, dentre outras manifestações.

 Sistema Nervoso Parassimpático deixa nossa mente tranquila e o físico relaxa  em vários níveis: musculatura esquelética, musculatura dos vasos sanguíneos (baixando a pressão arterial), diminui a frequência cardíaca e a frequência respiratória.

 

Os dois são necessários para as diversas situações de nosso dia a dia, são complementares e deveriam estar atuando equilibradamente.

 

Preste atenção a sua respiração nos momentos de estresse! Ela, com certeza, é curta e superficial. Uma respiração característica dos ansiosos, tensos, daqueles que estão sob pressão e não estão conseguindo lidar de forma saudável com ela,  ou que já desenvolveram a ansiedade em algum estágio patológico, o que causa um enorme desconforto. Em geral estas pessoas se queixam de não conseguirem respirar.

Já nos momentos de relaxamento sua respiração é lenta, suave e profunda. Já observou um bebe dormindo? Veja por si mesmo... Nos momentos de relaxamento nossa respiração volta a ser igual à de quando éramos bebes, quando não tínhamos toda a carga emocional que carregamos hoje, não sofríamos tantas pressões e  nem tínhamos cobranças em nossa mente!

 

Observações feitas, vamos lá. Você me pergunta, e então, o que eu faço com isso tudo que você me disse a respeito da respiração e sua ligação com o meu estado mental, como isso pode, efetivamente, me ajudar?

 

Ok, a parte bacana e prática disso é que, usando o aspecto voluntário da respiração, ou seja, usando a nossa vontade, interferimos na forma como respiramos e, desta maneira, podemos mudar nosso estado mental.

 

Exercícios para atingir um estado de tranquilidade mental e relaxamento:

 

1º - Respiração Abdominal

 - Ao inspirar observe seu abdômen se expandir e ao expirar observe-o se recolher. Se tiver alguma dificuldade em fazer este exercício, deite-se e coloque sobre seu abdômen um saco de 1 quilo de arroz e observe-o subir e descer conforme inspira e expira. Você também pode “abraçar” sua cintura, na altura do umbigo e observar seu abdômen afastar suas mãos quando inspira e juntá-las novamente quando expira. Faça esta respiração de forma muito suave e profunda, sem ruídos;

 

2º - Respiração Torácica

Agora utilize os músculos intercostais (entre as costelas) para expandir sua caixa torácica. Vá devagar, sem fazer muito esforço. Gradativamente vá expandindo seu tórax em todas as direções sentindo como se a respiração viesse subindo pelas costelas, até chegar a altura das clavículas. Mas, não use seus ombros! Use apenas os músculos intercostais. Faça esta respiração de forma muito suave e profunda e, se sentir que é preciso, coloque suas mãos nas costelas para sentir que se expandem;

 

3º - Respiração Yóguica

Agora vamos unir as duas respirações acima. A respiração Yóguica pode ser comparada a uma onda de ar que começa no abdômen com a inspiração, sobe pelo tórax, depois retornando do tórax para o abdômen com a expiração. Não faça esforço, vá aumentando a sua capacidade respiratória aos poucos. Da mesma forma que as outras, trabalhe de forma suave e profunda.

Em qualquer uma das técnicas respiratórias se você sentir algum desconforto como: falta de ar, tonteira, cansaço muscular, simplesmente pare e volte a respirar normalmente. Recomece o exercício quando se sentir melhor.

 

Os pulmões são órgãos muito sensíveis e é preciso que respeitemos nossos limites, por isso, nunca force seus pulmões além de sua capacidade. Isso pode deixá-los predispostos a doenças.

No mais, use a sua capacidade de atuar transformando seu estado mental tenso e ansioso, utilizando as ferramentas maravilhosas do Yoga, tais como as descritas acima e entre pelas portas do paraíso abertas pela sua dedicação, vontade e merecimento!

Yara Amaryllis – Prof. Hata Yoga

    Entre em contato:

   Tel: (21) 2572-3537

Whatsapp: 99714-4660

Endereço:

Rua Soares da Costa, 128/101

Praça Saens Pena - Tijuca  Rio de Janeiro - RJ

E-mail: ibrata@ibrata.com

  • Facebook ícone social
  • Instagram

Todos os direitos reservados © 2005